USP
Universidade de São Paulo

Isolamento de peptídeo a partir de hemolinfa de aranha brasileira

Pela aplicação dada relacionada ao Diabo da Tasmânia é que ele foi publicado neste jornal e muita gente vem falando sobre ele:  https://www.nature.com/articles/s41420-018-0030-0

 

Durante a leitura, ficamos satisfeitos de lembrar que o Laboratório de Química de Peptídeos do IQ-USP se envolveu nos passos iniciais do isolamento deste peptídeo a partir de hemolinfa de aranha brasileira. Posteriormente, também participamos da concepção/realização de estudos publicados de exploração da sua relação estrutura-atividade antimicrobiana, sendo citados como Miranda, MTM; Machini, MT; Machado, A.    

M. Terêsa Machini e grupo LQP-IQUSP

 

M. Terêsa Machini
Laboratório de Química de Peptídeos
Departamento de Bioquímica, Instituto de Química
Universidade de São Paulo