USP
Universidade de São Paulo

História

Antecedentes e origem do Instituto de Química 

Antes de 1970, Química e Bioquímica eram disciplinas dispersas em várias Faculdades e Escolas. 

Havia a hegemonia do Departamento de Química da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, apesar de que a química também fosse praticada na Faculdade de Farmácia e Bioquímica e na Escola Politécnica. Assinale-se que a Escola Politécnica foi pioneira na implantação de curso superior de Química no Estado de São Paulo, transformado em Curso de Química Industrial. 

Na área da Bioquímica, cada uma das Faculdades que a ministravam em seus cursos, possuia um Departamento ou Cátedra, normalmente designada como Química Biológica ou Química Fisiológica. 

Em decorrência da reforma universitária de 1970, constituiu-se formalmente o Instituto de Química da USP (IQUSP), muito embora, já em 1966, estivessem instalados nas novas dependências da Cidade Universitária todos os Departamentos, Cadeiras e Disciplinas de Química e Bioquímica e algumas afins pertencentes a seis Faculdades distintas. 

Esse fato, bastante significativo, mostrou que antes da obrigatoriedade determinada pela legislação, alguns setores da Universidade já reconheciam a importância de aproximar grupos com objetivos idênticos mas dispersos pela cidade de São Paulo. 

Constituiu-se o Instituto com dois Departamentos: o de Química Fundamental e o de Bioquímica. 

Para a formação do primeiro foi preponderante a contribuição do Departamento de Química da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL), além de importantes contingentes do Departamento de Física da FFCL, da Faculdade de Farmácia e Bioquímica, do Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica e do Laboratório de Química de Produtos Naturais criado por iniciativa da FAPESP em 1967. 

Para constituir o Departamento de Bioquímica, além de um pequeno grupo originário da FFCL, aportaram equipes da Faculdade de Medicina, Faculdade de Farmácia e Bioquímica, Faculdade de Medicina Veterinária e Faculdade de Odontologia. 

A associação de Químicos e Bioquímicos no IQUSP contrariou a tendência brasileira e mesmo internacional de alocar Departamentos de Bioquímica em Institutos de vocação biológica. 

Entretanto, deve-se louvar a visão dos fundadores que anteviram a crescente afinidade entre a Química e a Bioquímica, tendo em vista que ambas procuram, em última análise, relacionar estrutura molecular com reatividade ou função. 

A história do desenvolvimento dessas duas ciências mostrou que seus métodos e formas de raciocínio as aproximam, cada vez mais, uma da outra. Apesar dessas características comuns, o IQUSP beneficiou-se sensivelmente da interdisciplinaridade, pois, a ele aportaram docentes com diversas formações como químicos, engenheiros, farmacêuticos, físicos, médicos, biólogos, veterinários e odontólogos. 

O sucesso do IQUSP deve-se ao fato de que, a despeito das diferentes origens, suas lideranças estavam e estão imbuídas de iguais propósitos, em razão de uma mentalidade forjada no trabalho experimental, árduo e persistente, e na continuidade da pesquisa, praticada em tempo integral, de modo a torná-la cada vez mais abrangente e profunda com vistas à sua inserção na literatura científica internacional. 

Por essas razões é indubitável, no que concerne ao IQUSP, que a reforma universitária de 1970, criando os Institutos Básicos, promoveu resultados altamente positivos.

Maiores informações podem ser encontradas nos sites: “Projeto Memória USP” e "Memória IQ-USP", que elaboram uma linha do tempo identificando eventos históricos e personagens importantes em um amplo acervo fotográfico de quem fez a memória do nosso Instituto de Química.